Skip to main content

O bitcoin, criptomoeda digital criada em 2008, bateu seu recorde em 13 de março. A moeda superou US$ 61 mil pela primeira vez. Essa valorização se deve às movimentações de investidores, mas por outro lado os valores podem despencar também rapidamente.

Já no dia 15 de março a desvalorização foi de 10% e chegou à mínima de US$ 54.790 mil. Desde dezembro de 2020 a moeda digital está batendo recordes dos valores de preço em 2017.

Com esse recorde do dia 13, o bitcoin ultrapassou os 100% de valorização neste ano. Em 1º de janeiro, a moeda digital valia US$ 29,6 mil.

Mas como funcionam as movimentações? Quem decide o preço? É seguro? Saiba mais sobre a criptomoeda:

O que é o bitcoin e como surgiu?

O bitcoin é a primeira moeda digital criada no mundo e teve início em 2008, processo que é atribuído a Satoshi Nakamoto. 

Ele pode ser utilizado para comprar produtos e serviços, desde que o estabelecimento aceite. É inteiramente digital e não possui cédula física, por isso a categoria de criptomoeda, pois é um código virtual único.

Outra característica é ser descentralizado, ou seja, o bitcoin não é regulado por governo, bancos ou empresas, e não precisa de intermediários para comprar ou vender.

Outro ponto diferente do nosso dinheiro real: a moeda é limitada, podem ser emitidas apenas 21 milhões, nem um a mais. A estimativa é que até 2019 já haviam 18 milhões em circulação.

Como funciona?

A criptomoeda é negociada dentro de uma rede própria, o blockchain (corrente de blocos em português). Ele é um banco de dados onde se registram todas as transações entre participantes.

As transações são feitas entre os usuários, validadas e registradas pelo software e depois colocadas em blocos (por isso o nome citado acima) a cada 10 minutos.

Cada membro guarda suas moedas em carteiras digitais e nelas é possível ver o saldo e transferi-las. São softwares instalados em computadores ou celulares.

O que é o blockchain?

Como dissemos, a tradução é corrente de blocos. Cada bloco carrega um trecho de código virtual e unidos foram uma sequência de informações. É um sistema que rastreia o fluxo de dados pela internet.

Além dos bitcoins, ele pode ser usado para validar documentos, transações financeiras, venda de músicas ou filmes, rastreamento de remessas e votos.

Quanto custa um bitcoin? Como esse valor é fixado?

A moeda digital sofre variações como qualquer moeda física e também está relacionada à lei de oferta e demanda (quando mais pessoas querem, mais caro é).

Devido a essa alta demanda e a questão de limitação de unidades, o valor pode oscilar até 20% por dia, para mais ou para menos. Hoje, dia 23 de março de 2021, R$ 100 compram 0,00032 bitcoins e em relação ao dólar 1 bitcoin equivale a US$ 55.722 mil.

O bitcoin é seguro? 

As criptomoedas são criptografadas, ou seja, ficam protegidas (essa ferramenta de criptografia embaralha a informação e apenas quem tem o código é que pode decifrar).

No entanto, nem tudo é 100% seguro. Em 2019, uma grande corretora de bitcoins foi atacada por hackers e perdeu US$ 40,7 milhões.

Ficou interessado em investir? Saiba mais sobre as corretoras de moedas digitais e pesquise para entrar nesse ramo.

Thais Helena Bento

Thais Helena Bento

Jornalista formada pela PUC-Campinas. Tem 24 anos, trabalha na rádio CBN Campinas e apresenta/participa do CBN Esportes. É comunicativa, gosta de estar com a família e os amigos e valoriza muito as relações.