Skip to main content

O Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, começou um teste com câmeras de reconhecimento facial para passageiros dia 16 de junho.

O objetivo é agilizar o embarque das pessoas e facilitar e verificar a comprovação da identidade.

O teste também é feito no Rio de Janeiro, no Aeroporto Santos Dumont. 

Como o trabalho está em fase de testes, apenas uma companhia aérea utiliza a tecnologia em voos determinados.

Como funciona? 

O passageiro que aceita participar do teste informa o CPF e faz uma foto. Através do software as informações são encaixadas e quando a pessoa passa por uma câmera já é detectado nome, cartão de embarque e informações relacionadas ao governo federal.

Com essa tecnologia não será mais necessário apresentar fisicamente o cartão da companhia para entrar no avião, documento de identidade, pois os leitores poderão fazer o reconhecimento.

Brenno Sampaio, superintendente de relacionamento com clientes do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), disse ao G1: “Agrega em eficiência e rapidez no processo de entrada nas áreas seguras. Nesse cenário de pandemia, o projeto traz mais uma facilidade. Ele evita o contato com qualquer terceiro e a manipulação de documentos por outras pessoas. Então, nesse momento, o projeto inclusive atende questões sanitárias.”

Thais Helena Bento

Thais Helena Bento

Jornalista formada pela PUC-Campinas. Tem 24 anos, trabalha na rádio CBN Campinas e apresenta/participa do CBN Esportes. É comunicativa, gosta de estar com a família e os amigos e valoriza muito as relações.