Skip to main content

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Pandemia aprovou requerimentos que convocam representantes de redes sociais para depor. São os responsáveis do Facebook, do Google (YouTube) e Twitter. A decisão foi aprovada na quarta-feira (23).

As análises e a aprovação foram feitas por todos os membros, de acordo com a proposta do relator Renan Calheiros (MDB-AL).

O objetivo será questionar essas empresas sobre as medidas realizadas para conter as fake news e a disseminação delas. O vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirmou que esses compartilhamentos “geram consequências reais e dificultam o combate à pandemia”.

“Recentemente, estamos vendo o movimento de interrupção de exclusão de conteúdos falsos ou desinformativos pelas plataformas da empresa, de modo que é essencial que o representante da empresa Facebook, que gerencia uma série de plataformas de compartilhamento de conteúdo, compareça a esta Comissão para esclarecer os motivos para a mudança de comportamento”, disse Randolfe.

Alguns senadores comentaram na semana passada, quando os pedidos foram apresentados, sobre as falas do Presidente  Jair Bolsonaro (sem partido) em lives nas redes sociais, que são contrárias aos fatos.

Dia 17 de junho, Bolsonaro disse que “todos que contraíram o vírus estão vacinados” e que a contaminação é mais eficaz do que a própria vacinação porque a pessoa “pegou o vírus para valer”. 

Thais Helena Bento

Thais Helena Bento

Jornalista formada pela PUC-Campinas. Tem 24 anos, trabalha na rádio CBN Campinas e apresenta/participa do CBN Esportes. É comunicativa, gosta de estar com a família e os amigos e valoriza muito as relações.