Skip to main content

O Facebook informou que entre outubro e dezembro de 2020, para combater a desinformação dentro da rede social, desativou mais de 1,3 bilhão de contas falsas. Além disso, mais de 100 redes com comportamento inautêntico coordenado foram apagadas nos últimos três anos. 

Os dados foram divulgados pelo Facebook em 22 de março pelo vice-presidente de Integridade da plataforma, Guy Rosen. A rede social também investigou e removeu operações secretas que dependiam dessas contas falsas. 

O Facebook afirma que são mais de 35 mil funcionários contratados para essa área e que criou uma rede mundial com mais de 80 agências independentes para a checagem de notícias em mais de 60 idiomas.

Desde o início da pandemia foram apagados mais de 12 milhões de posts com fake news sobre a Covid-19 e vacinação. Há também o trabalho de rastreamento para que essas informações não sejam compartilhadas.

Foram criados também os recados de “Centro de Informações COVID-19”, “Centro de Informações de Ciência do Clima” e o “Centro de Informações de Votação das Eleições Presidenciais dos Estados Unidos em 2020” para sinalizar informações verdadeiras dentro da plataforma.

“Apesar de todos esses esforços, há quem acredite que temos interesse financeiro em fechar os olhos à desinformação. A verdade é o oposto. Temos toda a motivação para manter a desinformação longe de nossos aplicativos e tomamos muitas medidas para fazer isso às custas do crescimento e envolvimento do usuário”, afirmou Rosen.

Thais Helena Bento

Thais Helena Bento

Jornalista formada pela PUC-Campinas. Tem 24 anos, trabalha na rádio CBN Campinas e apresenta/participa do CBN Esportes. É comunicativa, gosta de estar com a família e os amigos e valoriza muito as relações.