Skip to main content

O WhatsApp anunciou que foi adiada a data de início da nova política de privacidade do aplicativo para 15 de maio. Anteriormente estava marcada para 8 de fevereiro.

A mudança ocorreu após usuários reclamarem da alteração e o Procon-SP notificar a empresa e pedir esclarecimentos sobre a nova política. 

O órgão questionou se as alterações estão de acordo com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), em vigor desde setembro de 2020, e também de acordo com o Código de Defesa do Consumidor.

Segundo o WhatsApp, a extensão do prazo foi feita para que os usuários “tenham mais tempo de entender a política”.

Em comunicado enviado ao G1, o WhatsApp informou que “esta atualização não muda as práticas de compartilhamento de dados entre o WhatsApp e o Facebook, e não impacta como as pessoas se comunicam de forma privada com seus amigos e familiares em qualquer lugar do mundo”.

De acordo com a empresa, os dados que poderão ser compartilhados são:

  • Número de telefone e dados registrados na conta;
  • Informações sobre o celular (marca, modelo, empresa de telefonia e número de IP);
  • Dados sobre a navegação, como tempo de uso na internet e quando o usuário está online;
  • Fotografia do perfil.

O anúncio das novas políticas de privacidade movimentou os lados dos concorrentes também. Os aplicativos Telegram e Signal tiveram uma alta no número de downloads.

O Signal informou que ultrapassou a marca de 500 milhões de usuários ativos no mundo. Já o Telegram registou 25 milhões de novos usuários em 3 dias.

Thais Helena Bento

Thais Helena Bento

Jornalista formada pela PUC-Campinas. Tem 24 anos, trabalha na rádio CBN Campinas e apresenta/participa do CBN Esportes. É comunicativa, gosta de estar com a família e os amigos e valoriza muito as relações.