SEO e Google Ads

O que esperar do SEO em 2021?

By dezembro 29, 2020 dezembro 31st, 2020 No Comments
Tendência SEO para 2021

SEO para 2021 será um desafio, mas não precisa se desesperar. Se você trabalha com SEO, ou se seu negócio depende diretamente dele, já sabe que durante o ano todo a Google atualiza seu algoritmo de rankeamento e indexação de urls.

Neste post, trago algumas mudanças que já estão confirmadas pelo buscador além de tendências que o mercado vem observando ao longo dos anos e que se espera concretizar em 2021.

  • O ritmo das mudanças tecnológicas e o progresso no setor do SEO não estão desacelerando e você pode esperar grandes mudanças em 2021;
  • A Google já anunciou duas grandes alterações nos seu algoritmo para março e maio de 2021;
  • Há varias tendências do SEO em 2020 com UX SEO e novos modelos de feature snnipets  que estão previstas para chegar ano que vem;

Ninguém pode negar que a comunicação online é mais que uma ferramenta essencial de trabalho. É também de sobrevivência. Muitos negócios e famílias dependem disso e da sua estratégia SEO.

Investimentos em anúncios online já representam mais de 400 bilhões de dólares e ultrapassa a indústria de anúncios na TV.

Então, continue lendo este post e confira as principais tendências de SEO para 2021.

Mundanças diretas nos motores de busca

SEO é totalmente dependente dos motores de busca e aqui vamos focar na mestre Google. Qualquer mudança no modo de operar, algoritmo e prioridades da ferramenta e da empresa terá impacto direto e significativo no SEO em 2021.

Estas alterações podem trazer bilhões de dólares de perdas para alguns negócios e bilhões de ganhos para outros. É importante estar consciente das mudanças que virão e saber como se preparar para elas.

#1 Experiência de página como fator de rankeamento no Google – Previsto para maio/2021

Em maio de 2021, você deve esperar o que a Google chama de “Experiência de Página” como um fator de rakeamento. Este critério se refere a como o usuário se sente ao interagir com o seu conteúdo.

É determinado por múltiplos atributos como mobile-friendly, navegação segura, HTTPS e outros já conhecidos, mas agora estão mais institucionalizados. Além destes será introduzida 3 métricas do Core Web Vitals para compor este critério.

Core Web Vitals são métricas centradas no usuário que tentam determinar a qualidade da experiência na página. São três indicadores que medem:

Métricas do Core Web Vitals

Métricas do Core Web Vitals

  • LCP – Largest Contentful Paint: mede o tempo que a página leva para carregar seu maior conteúdo visível, seja em texto ou imagem. Este tempo não deve ser superior a 2,5 segundos;
  • FID – First Input Delay: mede a interatividade da página. Na prática, é o tempo entre o clique de um link ou botão e a resposta a este clique. Tenha em mente que nem sempre o clique num botão leva a outra página, mas também adiciona produtos a um carrinho, faz login numa página, responde a uma busca numa caixa de pesquisa e envia seus leads através de um formulário. Esta resposta não deve superior a 100 milissegundos;
  • CLSCumulative Layout Shift: mede a estabilidade visual. Alterações de layout inesperados de página quando você está lendo um artigo, rolando uma página ou quando clica num botão que “sai do lugar” aliado ao tamanho do deslocamento indevido receberá um índice de layout shift e não deve ser superior a 0.1.

Em resumo, você deve oferecer ao seu usuário qualidade. Um site bom é aquele que carrega mais rápido, que é mais seguro, mais interativo, mais estável, mais mobile-friendly e muito mais. Imagina seu site como um hotel 5 estrelas. Seus hóspedes não vão admitir que a água do chuveiro demore a esquentar, que o controle não ligue a TV ou que, de repente, no meio de uma cara noite de sono, um incômodo o impeça de dormir.

Destaque nos principais resultados sem AMP

Outro motivo de a Google ter inserido a experiência do usuário no fator de rankeamento é fazer com que conteúdos não-AMP  sejam elegíveis de aparecer nos resultados do top stories no mobile. Esta é uma das principais formas em que sites de notícias conseguem tráfego e pode alterar bastante o volume de acesso provenientes destes resultados a partir de maio de 2021. Este será o mês em que os analistas de SEO perderão muito o sono.

Exemplo de Snippet Top Stories do Google

Exemplo de Snippet Top Stories do Google para desktop

 

Exemplo de Top Stories Snippet do Google no mobile

Exemplo de Top Stories Snippet do Google no Mobile

#2 Indexação Mobile-first para todos os sites no Google – Previsto para março de 2021

Não é novidade que o Googlebot indexa na sua base de dados a versão mobile do site, mas nem sempre foi assim. Há anos a Google está implementando esta mudança e vem acontecendo aos poucos.

Primeiro, permitiu que webmasters no painel do Google Search Console optassem pela indexação mobile-first. Depois, o crawler, por padrão, já indexava novos sites na sua versão mobile.

Agora, até março de 2021, todos os sites novos e existentes, serão indexados na versão mobile e pronto.

Então, se você tem uma versão mobile e outra desktop rodar seu conteúdo, assegure-se que a sua versão mobile:

  • É visível para os motores de busca;
  • Não bloqueia nenhuma url relevante no arquivo robots.txt;
  • Conteúdo seja identico da sua versão desktop, ou pelo menos a maior parte dele;
  • Possui a tag alt preenchida nos videos e imagens.

Tendências do SEO para 2021

Falamos até aqui das mudanças já confirmadas do algoritmo da Google, agora vamos abordar as tendências do SEO para 2021 que já vem acontecendo, mas que esperamos uma aceleração. Abaixo, vamos falar das mais relevantes:

#1 Busca por voz

A busca por voz simplesmente não existia cinco anos atrás. O desenvolvimento e a proliferação de dispositivos como Alexa, Siri, Google Assistant e muitas outras vem se popularizando com o passar dos anos.

Algumas estatísticas embasam nossa tese de que a busca natural, como falada, terá impacto significativo nos próximos anos.

O mercado destes dispositivos vão dar um salto de 2 bilhões de doláres alcançados em 2017 para  40 bilhões de dólares até o fim de 2022.

Em pouco tempo, nossas compras de supermercado serão feitas pela Alexa e entregues pela Uber sem nem ao menos que você saiba que acabou o pacote de tapioca do seu armário.

A popularização desta nova forma de buscar por informação apresenta uma oportunidade para crescimento do tráfego do website e um desafio para as abordagens tradicionais do SEO.

#2 Snippets destacados e microdata

O Google vem introduzindo mais e mais tipos de resultados destacados na sua página inicial, desde receitas de bolo até notícias e tutoriais. Estes snippets tem como objetivo otimizar a velocidade de busca e de manter o tráfego no site do Google.

Entretanto, implementar os microdados, responsáveis por dar ao google a informação para que este snippet seja montado, aumenta o CTR do seu site, visto que parte do tráfego do primeiro resultado natural será perdido para o resultado em destaque.

Segundo estudo da Ahrefs 8.6% do tráfego clica no resultado destacado e 19.6% do tráfego clica no primeiro resultado natural da busca.

Você não quer deixar a sua concorrência “morder” quase 9% do seu tráfego por conta de um snippet destacado, certo? Já é bem difícil manter-se em primeiro lugar para abrir mão de cliques.

CTR de snippet destacado

#3 Conteúdo não-textual

Estamos observando a internet saturada de blogs e landing pages e está cada vez mais difícil rankear palavras-chaves com alto tráfego e ocupar o lugar de sites que já estão fazendo um bom trabalho de SEO há tempos.

Este é o motivo de várias agências de SEO moverem esforços para diversificar a forma que o conteúdo é disponibilizado para seus usuários. Basta observar grandes sites brasileiros de marketing digital usando áudio, video e infográficos num mesmo post.

O formato mais promissor para entregar conteúdo parecem ser vídeos que vão direto ao ponto e que criam empatia e conexão com seu usuário.

Estes vídeos podem ser enviados para o Youtube e depois incorporados aos seus posts no seu site. O Youtube gera 15 bilhões de dólares para a Google a cada ano. É uma plataforma que você não pode ignorar.

Dica bonus: já que estamos falando de Youtube, vale ressaltar que existem resultados que são preferencialmente exibidos com snippet de vídeo. Buscas iniciando com  “Como fazer” priorizam tutoriais e conteúdos educionais na plataforma.

#4 UX SEO para 2021

Os dias em que o SEO era só meta tags e títulos já se foram há tempos. SEO combina expertise de vários campos diferentes do marketing, da economia, até engenharia de software e escrita criativa para alcançar melhores resultados.

A tendência que mais recente que está ganhando mais relevância é o que chamamos de Experiência SEO ou UX SEO framework.

UX SEO é a prática de otimizar a experiência do usuário no website para alcançar melhores taxas de conversão e engajamento. Não é apenas ter visitantes regulares no seu site, mas é igualmente importante assegurar que estes visitantes engagem com seu conteúdo.

Conclusão do SEO para 2021

A cada ano, o Google introduz mais de 3.600 pequenas alterações em seu algoritmo, fazer predições de que rumo o SEO irá tomar é muito difícil  e por isso é importante se manter informado sobre as mudanças anunciadas e também os estudos de dados feitos por agências de dados como as citadas neste post.

Um bom analista de SEO testa e compartilha seus resultados com a comunidade a fim de contribuir no desvendar dos critérios adotados pela Google, tanto no viés de mercado quanto na operação direta de criação de conteúdo.

Quando você contrata uma produção de conteúdo otimizado, tenha em mente que estes critérios e tantos outros devem ser levados em consideração para funcionar sua estratégia de SEO. Há muito mais na arte do SEO que simplesmente criar um texto com pouco mais de 500 palavras.

Leave a Reply